Política e Eleição / Notícias

22/09/18 - 13h09 - atualizada em 22/09/18 às 13h37

Especial sobre eleições hoje na Super Najuá 92,5

Você sabe como votar? Conhece o sistema político eleitoral? Tire suas dúvidas hoje, 22, a partir das 13h45

Da Redação

Marco Kanever, chefe do Cartório Eleitoral de Rebouças, gravou com Jussara Harmuch sobre o processo de votação

Acontece hoje na Super Najuá 92,5, um programa especial sobre as eleições. Acompanhe ao vivo, pelo rádio e nas redes sociais. Envie suas dúvidas pelo WhatsApp: 42 9113-5618.

Condução da equipe de Redação da Najuá: Jussara Harmuch e Paulo Sava. Colaboração: Rodrigo Zub e Edilson kernich.

Convidado: Rogério Carlos Born, professor de Ciência Política e Direito Eleitoral e autor da cartilha da CNBB, participará ao vivo com comentários, esclarecimento de dúvidas e explicações.


Emiliano Gomes, ex-vereador de Irati, idealizador da Campanha Voto Consciente.

Emiliano esteve fora do país em 2017 e passou 6 meses na Índia estudando práticas de ioga.


Processo de votação. O chefe do cartório eleitoral de Rebouças, Marcos Kanever, responde: 

  1. De que forma as pessoas que não podem votar devem proceder?
  2. Caso não se consiga justificar, como pode ser feita a regularização? 
  3. Quem não regulariza a situação eleitoral pode sofrer consequências?
  4. Quem não votou no primeiro turno fica impedido de votar num eventual segundo turno?
  5. Qual é a ordem de votação?
  6. Pode votar no mesmo candidato ao senado duas vezes?
  7. Se votar só para presidente, o que acontece?
  8. Se votar só na legenda, para onde vão estes votos?
  9. Haverá lista com os nomes dos candidatos nas cabines?
  10. Tem como procurar o candidato pelo nome na urna?
  11. Uma vez que o eleitor tenha digitado o número errado, não tem mais como corrigir?
  12. Pode entrar na cabine com pertences pessoais?
  13. Pode levar um Santinho ou uma cola para lembrar do número?
  14. Idosos, analfabetos ou pessoas com deficiência podem entrar na cabine com acompanhante?
  15. Pode entrar na cabine com criança?
  16. É permitido ir votar com broches, bandeiras ou adesivos?

PUBLICIDADE

Transmissão dos dados ao final da votação, Marco kanever esclarece.


Procurador de Justiça Armando Sobreiro Neto responde:

  1. Como fazer denúncia de compra de votos?
  2. Carro de som com propaganda é permitido?
  3. Pode fazer propaganda pelo WhatsApp e por telefone?
  4. A urna eletrônica é segura?
  5. Se a maioria dos votos for brancos e nulos, a eleição pode ser cancelada?


Aspectos gerais da política que devem ser observados numa eleição. O padre Hélio Guimarães, reitor do Seminário Mãe de Deus, em Irati, contribuiu para a elaboração da primeira cartilha da CNBB:

  1. Apresenta a cartilha da CNBB 
  2. Ética na política e na vida cotidiana
  3. Barganha política, compra de votos por influência, dinheiro e vantagens 
  4. Polarização de vertentes, ódio e bolha na internet 


Rogério Born responde:

  1. Se o sistema de urnas eletrônicas são tão boas, por que não são utilizadas por outros países? 
  2. Como são auditadas as urnas?
  3. Se houve falar de compra de votos, no interior em especial, mas o registro de denúncias não são muitos, não é? Por que é tão difícil de comprovar?

PUBLICIDADE

Rogério Born comenta alguns aspectos da mini reforma e o que mais deve ser alterado daqui para frente no sistema eleitoral

  1. Fim das coligações proporcionais – como influenciará na definição dos eleitos.
  2. Cláusula de Barreira - Na eleição de 2018, os partidos precisam alcançar, no mínimo, 1,5% do total de votos válidos distribuídos em 9 estados ou mais. E em cada um desses estados a legenda precisa ter, no mínimo, 1% dos votos válidos. OU Eleger 9 deputados distribuídos em, no mínimo, 9 estados. Essas exigências vão aumentar gradativamente até 2030. A mudança deve impactar principalmente os pequenos partidos, menos representativos? Os partidos, que hoje são mais de 30, vão diminuir? Hoje existe muita barganha entre os partidos por conta do fundo partidário, tempo de rádio e TV. Haverá mais ou menos democracia com menos partidos? 
  3. Além do fundo partidário, foi criado agora o Fundo Especial para Financiamento de Campanha, abastecido com recursos públicos (aprox. R$ 1,7 bilhão), depois que o financiamento por empresas foi proibido. O que é pior ou melhor? E a arrecadação de recursos por meio de “vaquinhas online”, já está funcionando? Hoje os partidos são obrigados a separar 30% dos recursos dos dois fundos para as candidaturas femininas. De que forma isso vai fazer diferença para aumentar o número de candidatas eleitas?
  4. O sistema político atual dá sinais que não serve mais. A discussão está entre sistema que funciona na Europa, distrital puro, distrital misto e voto em lista. Qual seria mais adaptável à nossa realidade?
  5. Será que existe algum sistema que, no Brasil, iniba o loteamento de cargos e facilidades em licitações e concessões, que ocorre em todas as esferas de governo?


Comentários