Política e Eleição / Notícias

22/05/18 - 00h26 - atualizada em 22/05/18 às 10h34

Fruet visita Irati em busca de apoio do interior ao PDT nas eleições

Ex-deputado federal e ex-prefeito de Curitiba visitou Colégio SESI, IFPR, Unicentro e Santa Casa

Edilson Kernicki, com reportagem de Rodrigo Zub 

Em entrevista na Rádio Najuá, Fruet falou sobre os planos para as eleições deste ano

O pré-candidato a deputado federal Gustavo Fruet (PDT) visitou a cidade de Irati na segunda-feira (21), onde cumpriu agenda de compromissos em instituições de ensino e na Santa Casa de Irati. O ex-prefeito de Curitiba foi acolhido na cidade pelo correligionário e ex-prefeito de Irati, Odilon Burgath (PDT), pré-candidato a deputado estadual.

PUBLICIDADE

Fruet esteve no Colégio Sesi, no Instituto Federal do Paraná (IFPR) e na Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (Unicentro) no período da manhã. No Colégio Sesi, conversou com os adolescentes sobre a importância da participação dos jovens nas eleições e das expectativas da atual geração para o futuro breve. No IFPR, Fruet conheceu a estrutura da instituição e conversou sobre a expectativa de ampliação dos cursos e da qualificação do quadro de profissionais. Na Unicentro, a temática foram os desafios do ensino superior público.

PUBLICIDADE

Ouça a entrevista completa com Fruet no fim do texto

“Na sequência, tivemos uma conversa muito boa com pessoas que participaram da equipe [de governo do ex-prefeito] Odilon e conversamos sobre gestão pública e o futuro das cidades, da administração pública, fontes de recurso, de financiamento”, descreveu. Durante a tarde, Fruet visitou a Santa Casa de Irati, onde foi recepcionado pelo ex-provedor Germano Strassmann, que foi amigo do pai de Gustavo Fruet, Maurício Fruet.

Primeira reunião para discutir plano de governo de Osmar Dias

Ainda na segunda-feira (21), Fruet e Odilon participaram, durante a noite, em Curitiba, da primeira reunião para discutir o plano de governo do pré-candidato a governador do PDT, Osmar Dias. “Sabemos que há os prazos das convenções; mas, de qualquer maneira, o cenário já está se definindo e hoje [segunda] será o primeiro encontro para debater o plano de governo, as propostas, sugestões, e o Odilon está encarregado de tratar não somente dos temas relativos a Irati, dos temas relativos desta região, mas também de ajudar o Osmar na elaboração de um plano que busque esta aproximação, cada vez maior, do governo do Estado com as Prefeituras e com as cidades paranaenses”, definiu.

Fruet é pré-candidato a deputado federal

Fruet é pré-candidato a deputado federal pelo PDT. “Entendo que o próximo Congresso terá uma importância tão grande quanto o presidente. Não adianta eleger um presidente que tenha um Congresso hostil ou vice-versa. E vamos precisar de um presidente que tenha muito diálogo com o Congresso Nacional. Todas as grandes questões que deverão ser colocadas no novo governo devem começar pela Câmara dos Deputados. Cumpri três mandatos, quero participar desta eleição, contribuir com esse projeto em Brasília; contribuir, mais ainda, com o Paraná e fazer parte desta grande aliança que está se formando no Estado. E é por isso que estou em Irati hoje, pois o Odilon será peça-chave e decisiva, quando imaginamos, na composição do novo governo e, também, da nova Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP)”, acrescentou.

O pré-candidato destaca que Irati possui lideranças políticas de diferentes forças que já marcaram a política paranaense. Fruet acredita que a política e a representatividade locais cresceram e amadureceram de tal forma que é hora de Irati e região voltarem a ter um representante na ALEP.

Alianças com outros partidos

Sobre as eventuais alianças do PDT na disputa ao Governo Estadual, Fruet afirma que todas as negociações estão centradas em Osmar Dias, presidente do PDT estadual e pré-candidato a governador. Ainda conforme ele, seria prematuro afirmar qual será, exatamente, o formato dessas alianças até o prazo final para as convenções, 7 de agosto.

Plano de governo

Enquanto se definem as alianças, o PDT avança na elaboração do plano de governo, que tem como prioridades a discussão sobre o futuro das concessões das rodovias federais e a cobrança de pedágio, à medida em que se aproxima o término dos contratos com as concessionárias; o enfrentamento à dívida e o reequilíbrio financeiro. “E os temas que são fundamentais até à história do Osmar Dias, como a profunda vinculação dele à agricultura, ao agronegócio, à pecuária, ao pequeno e médio produtor, à agricultura familiar, que marca o perfil do Paraná e marca muito o perfil desta região, com um projeto de industrialização e, da nossa parte, contribuindo muito, em programas sociais, especialmente na área de Educação, na área de Saúde e de Infraestrutura”, afirmou Fruet.

Senado

Fruet desconversa quando o assunto é uma provável candidatura ao Senado e diz que é algo que ainda paira no campo das especulações. “Na verdade, estamos trabalhando nesse processo de aliança e vai depender muito do que vai acontecer nas próximas semanas em relação ao governo e ao ex-governador [Beto Richa], a expectativa de que fatos novos vão surgir e qual impacto que isso vai ter na opinião pública e nas alianças. Porém, tudo tem seu tempo determinado e não adianta antecipar qualquer decisão nesse sentido. Então, nesse momento, em comum acordo com o Osmar, eu sou pré-candidato à Câmara dos Deputados. Essa é uma eleição que será eleito quem tem muita estrutura – e é sempre bom desconfiar de quem gasta muito dinheiro na eleição – ou quem tem história, e é por isso que viemos falar com o Odilon aqui em Irati”, disse.

Nesse ano, o Paraná tem a disponibilidade de duas cadeiras no Senado nas eleições, com o fim dos mandatos de Gleisi Hoffmann (PT) e Roberto Requião (MDB), que pode se candidatar a governador. “As alianças vão também pontuar como vai se dar essa candidatura. Candidaturas vinculadas e bem casadas com os candidatos a governador são candidaturas com potencial de vingar, mas isso vai depender, evidentemente, das alianças”, analisou Fruet.

Depois de ser derrotado nas urnas em outubro de 2016, na disputa pela reeleição da Prefeitura de Curitiba, Fruet começou a ser sondado para uma eventual candidatura ao Senado. Há oito anos, ele tentou uma cadeira no Senado e “bateu na trave”, ao perder a segunda cadeira em disputa para Roberto Requião (PMDB), por uma diferença de 190 mil votos.

Agora que tem o comando da Prefeitura de Curitiba no currículo, analistas políticos acreditavam que Fruet tivesse maiores chances. Os adversários, entretanto, atribuem a Fruet pouca força no interior, o que tornaria sua candidatura ao Senado inviável. Fruet já foi deputado federal por três mandatos consecutivos: de 1999 a 2011. Em 2006, na terceira eleição que disputou para o cargo, foi o deputado federal mais votado do Paraná, com 210.674 votos.

Entrevista completa com Fruet

Comentários