Política e Eleição / Notícias

11/08/18 - 13h47 - atualizada em 11/08/18 às 13h55

Radialista confirma candidatura a deputado estadual

Emerson Bacil (PSL) faz sua estreia na política ao pleitear uma cadeira na ALEP a fim de representar São Mateus do Sul e região

Edilson Kernicki, com reportagem de Rodrigo Zub 

Emerson Bacil participa pela primeira vez de uma eleição

O empresário, radialista e advogado Emerson Bacil, de São Mateus do Sul, confirmou sua candidatura a deputado estadual pelo Partido Social Liberal (PSL). Antes do período eleitoral, Bacil já manifestava seu interesse em buscar a representatividade que a região hoje não possui dentro da Assembleia Legislativa (ALEP). Sua decisão em oferecer o nome para concorrer no pleito foi aprovada pelo pai, o ex-vereador e ex-prefeito de São João do Triunfo, Olisses Bacil, que faleceu em abril deste ano. O candidato também aposta na ideia de renovar a ALEP, pois, para ele, é necessário retirar de lá quem faz da política um meio de subsistência. 

Bacil afirma que decidiu se candidatar a deputado depois de ver frustradas as expectativas em relação ao desenvolvimento regional no Sul e no Centro-Sul e diante da falta de representatividade que as duas regiões têm no Legislativo estadual. O candidato vai fazer “dobradinha” com outro postulante de primeira viagem, o agricultor e empresário da construção civil Edenilso Rossi (PMN). “Além de trabalharmos juntos nessa eleição, vamos também fazer um trabalho em comum. Ele mora em Curitiba e até porque é a primeira vez, como eu, que sai a candidato, estaremos numa parceria para desenvolver tanto os projetos em nível estadual quanto aqueles que eu necessite de uma parceria em Brasília. Ele estará lá para nos servir também”, diz. 

Ouça a entrevista completa com Emerson Bacil no fim do texto

PUBLICIDADE

“Temos um grupo e ele vai de acordo com os princípios do partido. Nós temos uma equipe de trabalho para os candidatos a deputado estadual e federal, todos para uma renovação. Partimos para o novo, assim que a população espera. Temos distribuídos, em todo o Paraná, candidatos potenciais que farão um grupo forte na Assembleia Legislativa no ano que vem”, afirma o candidato. 

Pelo fato de ser um partido pequeno e tendo em vista que os candidatos da chapa são todos nomes novos, Bacil estima que cerca de 20 mil votos já seriam suficientes para elegê-lo pela legenda. “Pelo nível que está os candidatos do PSL, acreditamos que próximo de 20 mil votos já poderá concorrer a uma vaga na ALEP. Pelo menos cinco a seis já entrarão direto. O partido deve fazer de cinco a seis deputados estaduais, numa média de 20 mil votos”, estima. 

PUBLICIDADE

Bacil defende criação do Ceasa no Centro-Sul

O candidato pretende colocar as regiões Sul e Centro-Sul em perspectiva no cenário estadual dentro da ALEP. “Estamos esquecidos e menosprezados há muito tempo. Vemos políticos permanecerem no poder através de acordos pessoais que levam o interesse de poucos. Nós vamos entrar para fazer a diferença. Creio que a base de tudo vai ser o desenvolvimento como um todo, não só de uma cidade, mas da região como um todo e, para isso, precisamos trabalhar. O deputado trabalha com leis, com fomento, com incentivo, com discussão, para que isso, lá no final, atraia empreendedores, empresas, que gerem emprego. Temos muitas situações a discutir, como a inovação tecnológica e a agricultura orgânica”, apresenta.

Bacil afirma que será o defensor da criação do Ceasa no Centro-Sul, para que se faça uma melhor distribuição de alimentos. O candidato também pretende defender a criação de distritos industriais às margens das rodovias que cortam a região.  

Ainda voltada à geração de empregos, outra proposta do candidato a deputado estadual, para a qual dependerá de apoio federal, diz respeito à criação de uma Zona Franca do Sul do Paraná e de um porto intermediário, um porto seco, “para que possa, já na nossa região, desenrolar todo o trâmite para chegar no Porto [de Paranaguá] já com toda a papelada e todas as autorizações”, comenta. O candidato defende também a desburocratização das pequenas empresas, das indústrias e o incentivo à criação de frigoríficos. “São todas situações possíveis, mas que hoje estão longe de se tornar realidade. Por isso estamos enfrentando uma eleição, para que isso possa ser fomentado e se torne, sim, uma realidade”, acrescenta. 

PUBLICIDADE

Campanha de Bolsonaro na região

Nos blocos de 12 minutos e 50 segundos de horário eleitoral fixo, o candidato a presidente do PSL, Jair Bolsonaro, deve ter apenas 9 segundos na TV. Assim como ele, Guilherme Boulos (PSOL); Cabo Daciolo (Patriota); Eymael (DC); Vera Lúcia (PSTU); João Goulart Filho (PPL) e João Amoêdo (Novo) terão menos de 15 segundos na TV, considerado o “padrão Enéas” – o candidato do Prona nas eleições de 1989 que tinha tempo apenas de lançar o bordão “Meu Nome É Enéas”. O candidato deve ter dez inserções de 30 segundos durante os 35 dias de campanha. Ainda que seja de partido considerado nanico, tem sido convidado para debates eleitorais na TV, seguindo o critério legal de que tem direito a participar os candidatos de coligações com mais de cinco congressistas. Por essas razões, a estratégia de campanha do presidenciável tem sido o uso da internet. 

“A campanha do Bolsonaro já caminha há algum tempo principalmente pela internet, principalmente porque a grande mídia o estava evitando, essa possível candidatura que se concretizou na semana passada. Esse trabalho já está sendo feito e em toda a região já existem pessoas adeptas à candidatura de Jair Bolsonaro e vamos acompanhar tudo isso de perto. Estaremos participando e seremos um elo direto entre a sua candidatura e a população”, afirma Bacil. 

“Para a grande maioria, o que ele diz, muitas pessoas queriam dizer em público. O que ele fala é o que a população que trabalha, de bem, quer falar e quer ouvir. Por isso ele é polêmico, porque muitas situações ficam omitidas. Quando chega uma pessoa que enfrenta a maior rede de televisão do País, que coloca ela numa situação vexatória. Essa é uma pessoa que tem como enfrentar todas as situações que precisamos”, declara o candidato a deputado estadual sobre as polêmicas e controvérsias que envolvem o candidato a presidente. 

PUBLICIDADE

Candidato do PSL ao governo do Estado

O candidato do PSL ao governo do Paraná é Ogier Buchi, que fez fama como apresentador de TV e comentarista político. Ele foi candidato em 2014. “Foi uma decisão do partido, que vai de encontro à ideologia do partido, que é de renovação e é dessa forma que vamos trabalhar. Vejo quatro situações, rodando por todos os municípios: primeiro, as pessoas estão cansadas de corrupção; segundo, querem alguém que não esteja lá, querem pessoas novas, com pensamentos novos; querem também alguém que seja próximo e que seja ficha limpa. Eu sou da região, estou me propondo, preencho a todos esses requisitos e iremos, sim, com nossas parcerias lutar e trabalhar muito para que a região tenha o que merece. Faz mais de 20 anos que estamos esquecidos e que vemos muitos investimentos passarem por essas rodovias, que estão ainda muito mal conservadas”, diz Bacil. 

Quer receber notícias locais? Envie whats para 42 991135618 SIM NOTICIAS ou cadastre seu e-mail na newsletter pelo site da Najuá

Ouça a entrevista completa com Emerson Bacil

 

Comentários