Política e Eleição / Notícias

15/06/12 - 22h01 - atualizada em 26/06/12 às 15h58

"Velho de Guerra" PMDB quer lançar candidato próprio onde for possível

Presidente do diretório municipal do PMDB, Vilson Menon, lamenta saída de Derbli, mas diz que partido é maior do que um nome
Jussara H. Bendhack, com reportagem de Paulo Secco


Presidente do diretório municipal do PMDB falou sobre as pretensões do partido visando as eleições 2012, em entrevista à equipe da Najuá
O diretório do Partido do Movimento Democrático Brasileiro – PMDB em Irati vai seguir a determinação nacional e fazer o possível para lançar candidatura própria. “A princípio o PMDB vai ter candidatura própria, até pela grandeza do partido. É um partido estruturado forte a nível estadual e compõe a base do governo Federal. A sigla tem alguns pré-candidatos, como o Mario Pianaro e, mais recente, o nome do empresário Nelson Menon foi cogitado”, conta o presidente do diretório local, Vilson Menon, em entrevista para o quadro Najuá Eleições 2012. (A reportagem completa está disponível no final desta reportagem).

Em 2010, outro empresário, Jorge Derbli, havia afirmado que era candidato, mas em 2011 ele trocou o PMDB pelo PSDB. “A saída do Jorge Derbli do PMDB foi uma perda grande. Naturalmente, por ele já ter disputado algumas eleições municipais, seria um nome para disputar agora em 2012. Ele nos comunicou e saiu de forma amigável, mas o PMDB é maior do que um nome”.

Na Câmara, a promessa é repetir a dobradinha que atua hoje: Helio de Mello e ele próprio, Vilson Menon. “Menon e Hélio naturalmente serão candidatos”, comenta.

Oposição x situação burra

Menon lembra que nos últimos anos, quando o partido era governo, as portas sempre estiveram abertas para o prefeito Sérgio Stoklos e nunca foi colocado empecilhos por parte do diretório local.

“Independente do prefeito que leve a próxima campanha, eu sempre considero que tem duas coisas que atravancam o município: Oposição burra que é aquela que tudo que o prefeito vai fazer você se posiciona contra e também a situação burra, quando tudo que ele faz é lindo e maravilhoso. Oposição coerente nós sempre fizemos e faremos, seja ele candidato do PMDB ou de qualquer outra sigla.”

Números de vereadores

Baseados na definição do partido, Menon e Mello votaram pelo aumento de cadeiras no legislativo e defendem que fique um número ímpar. “Voto de Minerva permite o posicionamento do presidente em algumas leis. Isso[sem isso]tira a democracia e a democracia é a maioria.Já tivemos uma perda de representatividade. A base do PMDB concorda com o número 13 porque já tivemos”, explica, insistindo que isso não implica no aumento de gastos.

Comentários