Política e Eleição / Notícias

15/09/18 - 13h33 - atualizada em 15/09/18 às 13h54

Vereador rebate críticas de ex-prefeito ao papel fiscalizador do legislativo

Silvio Paulo Girardi voltou a se manifestar nas redes sociais cobrando suposta omissão dos vereadores quanto a seu papel fiscalizador

Da Redação 

Vereador Zerico questionou cobranças feitas pelo ex-prefeito Silvio Paulo Girardi nas redes sociais

O vereador Zerico José Nepomuceno (PP) rebateu as críticas manifestadas pelo ex-prefeito Sílvio Paulo Girardi quanto ao papel fiscalizador do legislativo rio-azulense. Na Palavra Livre da sessão da última terça (11), Zerico respondeu ao ex-gestor, que cobrou dos vereadores a fiscalização sobre duas cadeiras de dentista que foram adquiridas no final de seu mandato, em 2016, que estão guardadas na garagem de veículos da Secretaria de Saúde. 

Segundo Girardi, os equipamentos seriam destinados aos postos de saúde de Marumbi dos Elias e Água Quente dos Meiras e estão se deteriorando sem uso. “Fiscalizar e defender os direitos do povo é obrigação do vereador”, recomendou o ex-prefeito. 

PUBLICIDADE

“Fico indignado, porque teve a maior chance da vida dele de tocar esse município bem, porque eu vi como ele pegou esse município. Entregou esse município sucateado de maquinário e a Saúde, até senha, que eu não entendo muito disso, foi deixado para a equipe se virar. Se tem mágoa pessoal, não se vingue em cima do povo”, disparou Zerico. 

O vereador declarou que procurou a secretária de Saúde, Rosane Popovicz Schirlo, para conferir se havia fundamento no comentário do ex-prefeito. Zerico leu a resposta da gestora, que admitiu que as cadeiras odontológicas estão, de fato, guardadas na garagem da Secretaria. Contudo, elas estão sem compressores e sem gabinete. Além disso, Rosane afirmou que as cadeiras seriam de péssima qualidade, dependeriam de manutenção constante e, mesmo assim, teriam curta vida útil. 

PUBLICIDADE

Na resposta encaminhada pela secretária de Saúde e lida pelo vereador, ela aponta a negligência do ex-gestor, que omitiu o fato de que 12 ares-condicionados foram deixados no chão do estoque, sem instalar; além do sucateamento dos aparelhos de fisioterapia na gestão anterior – que foi solucionado na atual. Rosane mencionou, ainda, que quando o atual prefeito assumiu o mandato, havia medicação guardada no arquivo morto da Secretaria, em local com goteiras, acondicionada de forma inadequada. “Temos provas, mas não vamos, nem precisamos perder nosso tempo com essas baixarias de pessoas incompetentes”, encerrou a nota da secretária lida pelo vereador. 

O presidente da Câmara, Edson Paulo Klemba (PDT), opinou que esse tipo de situação é típico de períodos de campanha eleitoral. “Só em época política que acontece: um ex-gestor querendo jogar os vereadores contra a sociedade. Querendo colocar os vereadores contra a sociedade. Um irresponsável que ficou quatro anos dentro da Prefeitura sem cumprir com seu papel, com seu dever de gestor, mas sim de politiqueiro. Passou nessa Prefeitura fazendo politicagem e perseguição a muitos e muitos funcionários e pessoas rio-azulenses. Se ele tivesse vergonha na cara... Eu o convidei para vir aqui se explicar. Mas ele é uma pessoa que não tem coragem de enfrentar as ingerências que ele fez dentro daquela Prefeitura”, protestou. 

Presidente da Câmara, Edson Paulo Klemba, argumenta que algumas pessoas se manifestam somente em períodos eleitorais

Gestão atual 

Jair Boni (PSB) se defendeu de críticas vindas do prefeito Rodrigo Solda (PSDB). “Vereador com três mandatos, quase se aposentando na Câmara de Vereador’. Mas três mandatos trabalhando, não ficando parado. É bem melhor que ser ‘laranja’. E o pior de tudo, que ser ‘laranja’, passando um cartão, ainda pode ser levado para aposentadoria. Um ano, dois, três, quatro. Estamos trabalhando aqui dentro da Câmara”, insinuou. 

“Não estamos bloqueando nenhum projeto. Mas quando eu vejo o bloqueio de um projeto por causa de R$ 40 mil, que eu pedi para retirar, porque lá em cima diz para gastar em água tratada e encanamento. Você tira o dinheiro de uma área onde ele não está sendo ocupado para aplicar em outra. Mas como vai me explicar que não está terminada a água do Pinhalzinho, do Cerro Azul, do Marumbi dos Ribeiros?”, prosseguiu Boni. 

Jair Boni rebateu críticas que recebeu do atual prefeito Rodrigo Solda

“E nós com um projeto para 300 famílias ganharem água tratada. Eu vou aprovar tirar R$ 40 mil de uma água que pode ser gasta em qualquer uma dessas comunidades? Aí aquele agricultor que está puxando água de carrocinha e de trator, diz: ‘Mas tem R$ 40 mil, não poderia ser gasto conosco aqui?’. Poderia. E o prefeito hoje culpa que tem vereadores bloqueando alguma coisa. Fomos atrás dele, tentamos fazer parceria e não deu certo”, relatou o vereador do PSB. “Mas não por culpa do prefeito, que estava concordando, querendo trabalhar conosco. Agora, se está dando ouvido para alguma raposa velha que está por trás, para bloquear o andamento da Câmara, para bloquear o andamento do município, a culpa é dele, não é minha”, complementou. 

Boni se referia ao Projeto de Lei 932/2018, que ao ser protocolado na Câmara não continha pedido de urgência à sua apreciação, como deveria ter ocorrido se, de fato, o prefeito tivesse urgência de que o PL fosse aprovado. 

PUBLICIDADE

O presidente da Câmara rebateu as afirmações de Boni. “Quando eu falei do projeto que não foi aprovado aqui nessa Casa, tinha seis vereadores. Como já passou projeto aqui sem vir do prefeito, onde estava escrito ‘urgência’, e foi passado. Isso foi politicagem, sim. Não estou defendendo o prefeito, mas defendo o povo de Rio Azul aqui dentro dessa Casa. Não tenho bandeira do Solda comigo, mas tenho a bandeira do povo de Rio Azul. Poderia ter passado, sim. Uma obra para ser feita precisa ter projeto na mão. Não se faz obra sem ter um projeto na mão. Não se sabe o custo benefício que isso vai ter. Não adianta chegar aqui e falar que tem tantas pessoas que não estão sendo beneficiadas. Eu acompanhei, e isso não acontece”, retrucou. 

Klemba frisou que sempre é grato ao desempenho dos demais vereadores na busca de recursos e de soluções para Rio Azul. Por outro lado, pontuou que ele ainda é o presidente da Mesa Diretora, até o final deste ano, e que vai continuar a ajudar todos os vereadores. “Se tem ‘laranja’ por aí, como foi citado, que cortem e chupem essa laranja. Só acontece isso em época [de campanha] política nessa Câmara. Por que durante o restante do mandato isso não acontece?”, questionou. 

Prisão de Richa e Consórcio do SAMU 

O vereador Valdir Siqueira (PR) comentou a prisão do ex-governador Beto Richa (PSDB), detido durante a operação “Rádio Patrulha”, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), deflagrada na terça (11), que investiga, sob sigilo, irregularidades no programa Patrulha do Campo, como pagamento de propina a agentes públicos, direcionamento de licitações de empresas, lavagem de dinheiro e obstrução da Justiça. “Hoje é um dia triste para o Paraná. Eu estou triste, porque podíamos ter muito mais dinheiro na saúde e está aí a prova que um dia eu falei, nessa Tribuna, que um dia a casa ia cair, que tinha muito desvio de dinheiro nesse Estado e está aí a prova, hoje, com nosso ex-governador preso, com todos seus aliados. Poderíamos ter uma saúde de qualidade melhor para nossa população e para todos os paranaenses. É triste voltarmos às capas dos jornais, o nosso Estado, o nosso Paraná. Isso nos entristece, como políticos, que estamos perdendo a credibilidade. Você abre um jornal hoje e é corrupção em cima de corrupção”, lamentou. 

Valdir Siqueira comentou sobre a prisão do ex-governador Beto Richa em explanação na Tribuna Livre

Siqueira também criticou a pressão exercida pelo Estado para que os municípios venham a aderir ao Consórcio Intermunicipal SAMU Campos Gerais (CIMSAMU). “E nós, aqui, falando em salvar vidas. O dinheiro desviado para o bolso desses grandões, que querem empurrar goela abaixo e tirar a responsabilidade, que é do Governo do Estado cuidar da saúde pública. Querem empurrar impostos, querem empurrar tudo para o município e os municípios não estão aguentando mais tanta coisa que são eles que têm que cuidar: Saúde, Educação. Daqui a uns dias, vão nos empurrar também os gastos que o Lula criou, que está lá preso também. Temos que ensinar nosso pessoal, dar o anzol e ensinar a pescar. Tudo quanto é corrupto tem, sim, que entrar nessa gaiola onde eles estão, para aprender a respeitar nosso povo, de todos os municípios, de todos os paranaenses”, disse. 

PUBLICIDADE

Representante da 4ª Regional fala do SAMU

A representante da 4ª Regional de Saúde, Patrícia Sobutka, subiu à Tribuna Livre e discursou por aproximadamente uma hora com o objetivo de convencer o legislativo rio-azulense sobre a importância de o município aderir ao Consórcio Intermunicipal do SAMU. O projeto de lei que autoriza o município a ingressar no Consórcio tramita na Câmara na fase de discussões nas Comissões Permanentes. A explanação da representante da 4ª Regional serviu para que os vereadores sanassem suas dúvidas. 

Projetos Aprovados 

Foram aprovados em segunda votação e seguiram para sanção do Executivo cinco projetos de lei: 

- O projeto 928/2018, do Executivo, autoriza a abertura de um crédito adicional especial no valor de R$ 140 mil, distribuídos nas Secretarias Municipais da Saúde e da Assistência Social para aquisição de material, bem ou serviço para distribuição gratuita. 

- O projeto de lei 929/2018, também do Executivo, que cria o Sistema de Segurança Alimentar e Nutricional no âmbito do Município de Rio Azul e dá outras providências. 

- Do Legislativo, foi aprovado em segunda apreciação o projeto do vereador Edson Paulo Klemba, PL 930/2018, que dispõe sobre a isenção de pagamento de valores em concursos públicos e processos seletivos aos eleitores convocados e nomeados para servirem à Justiça Eleitoral por ocasião dos pleitos eleitorais. 

- Também foi aprovada a proposta do Executivo, sob o número 931/2018 que propõe alteração ao Código Tributário Municipal, criando novo artigo 236 “A”, concedendo isenção de taxas aos Microempreendedores Individuais – MEIs. 

- Foi, ainda, o PL 932/2018, que autoriza o Executivo a abrir crédito adicional suplementar de até R$ 1.530.000,00. O crédito suplementar é aquele que possui como objetivo atender a despesas não computadas ou insuficientemente dotadas na Lei Orçamentária Anual (LOA). 

PUBLICIDADE

Requerimentos 

Jair Boni apresentou o requerimento 54/2018, através do qual solicita que seja encaminhado ofício ao Executivo com pedido de informações sobre o total de recursos previstos para investimento na execução dos serviços de pavimentação asfáltica do trecho da Rodovia Municipal José Vieira Soares – a Rodovia do Peixe, e que indique a fonte desses recursos. 

A vereadora Maria da Conceição Burko (PSDB) apresentou requerimento verbal em que pede que as Comissões ouçam a opinião dos funcionários do Hospital de Caridade São Francisco de Assis, do Conselho Municipal de Saúde e da Secretaria Municipal de Saúde a fim de obter o maior número de informações possível antes de decidir sobre a adesão do município ao Consórcio do SAMU. 

 Quer receber notícias locais? Envie whats para 42 991135618 SIM NOTICIAS ou cadastre seu e-mail na newsletter pelo site da Najuá

Comentários