Política e Eleição / Notícias

06/09/12 - 09h03 - atualizada em 06/09/12 às 09h10

Vereadora lê salmo da Bíblia em protesto contra colegas atrasados

Noêmia Rocha (PMDB) é líder da oposição na Câmara de Curitiba. Reunião com secretário da Copa começou com uma hora de atraso.
Do G1 PR


O incômodo com o atraso dos colegas vereadores na manhã desta quarta-feira (5) fez com que a líder da oposição na Câmara Municipal de Curitiba, Noêmia Rocha (PMDB), usasse o tempo para ler um salmo da Bíblia em plenário. Segundo ela, havia pouco mais de seis dos 38 vereadores após 50 minutos do horário previsto para reunião.

Após a sessão de terça (4) que decidiu pelo adiamento da votação sobre o projeto de lei que altera e institui potencial construtivo à Arena da Baixada, que vai receber jogos da Copa do Mundo de 2014, foi estabelecida uma reunião com técnicos da prefeitura e o secretário municipal da Copa, Luiz de Carvalho. O encontro deveria começar com uma tribuna livre às 8h, mas devido à falta de quórum teve início apenas às 9h, diretamente na sessão ordinária.
Noemia Rocha leu salmo da Bíblia em protesto ao atraso

“Nós tínhamos marcado uma reunião com todos os vereadores, porque ontem teve um debate acirrado e muita dúvida sobre o projeto. Eram 8h50 e estávamos em meia dúzia de vereadores”, lamentou Rocha. Ela contou que a iniciativa da leitura de um Salmo foi de um colega, também indignado com a demora. “Eu tenho o hábito de levar minha Bíblia pequena para ler antes do início da sessão plenária, e quando o Salamuni me viu com a Bíblia aberta me disse: ‘Leia para nós, vereadora’.”

O Salmo escolhido por Noêmia foi o 37, de Davi, que, coincidência ou não, começa com o trecho “Não te irrites por causa dos maus, nem tenhas inveja dos injustos. Eles são como a erva: secam depressa, murcham logo como a relva”. Questionada se tratava de uma forma de protesto, a vereadora justificou como um pedido para que “as pessoas tenham uma votação sensata”.


Reunião

No encontro, Luiz de Carvalho negou que haja repasse de dinheiro do município para o Clube Atlético Paranaense através do potencial construtivo. “Não há rubrica no orçamento da cidade destinada a clube de futebol”, afirmou, ressaltando que o potencial construtivo só é utilizado para obras de interesse público.

Se o projeto que tramita for aprovado, as obras na Arena da Baixada, orçadas em R$ 184 milhões, receberão aporte de R$ 123 milhões do município e do estado em títulos. “O potencial construtivo foi um instrumento aprovado pela Câmara de Curitiba para alavancar o dinheiro necessário, por se tratar de um ativo financeiro”, disse Carvalho, garantindo que não houve majoração no número de cotas cedidas, estimado em 246 mil.

O secretário falou também sobre as contrapartidas que o Atlético-PR terá de fornecer, bem como o governo estadual. “Tem que haver reflexão sobre o tema, pois a capital está recebendo mais de R$ 1 bilhão em investimentos. Isto também é contrapartida, pois são obras que foram agilizadas por conta de Curitiba ter se viabilizado como cidade-sede da Copa”, justificou.


MP E TCE

A bancada de oposição, contudo, não ficou satisfeita com os esclarecimentos prestados pelo secretário, e indicou que deve levar questionamentos ao Ministério Público do Paraná (MP-PR) e ao Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR). Segundo a líder da oposição, o objetivo é balizar a votação do projeto, marcada para segunda-feira (10).

“Vamos levar todos os nossos questionamentos em relação às perguntas que não foram respondidas. Nós solicitamos isso ao Executivo, mas eles não respondem, a questão vem ao plenário e passa porque a base é maioria”, reclamou Noêmia Rocha.
Arena da Baixada será o estádio de Curitiba que vai receber jogos da Copa de 2014


Comentários