Tablóides Nacionais e Internacionais / Notícias

22/02/12 - 10h26 - atualizada em 22/02/12 às 10h34

Após tumulto, Mocidade é declarada campeã do Carnaval de SP

Anúncio foi feito no fim da noite de terça-feira depois de tumulto. Segundo colocada foi a Rosas de Ouro, seguida da Vai-Vai

Gazeta do Povo

 

 

A Mocidade Alegre foi declarada campeã do Carnaval de São Paulo na noite de terça-feira, após o tumulto que interrompeu a apuração das notas do desfile das Escolas de Samba do Grupo Especial do Carnaval paulistano.

 

Bateria da Mocidade Alegre, no segundo dia de desfile em SP

 

A Mocidade foi declarada campeã com 180 pontos após reunião da Liga Independente das Escolas de Samba, iniciada após a interrupção da apuração quando um homem, vestindo uma camisa da escola Império da Casa Verde, invadiu o local onde eram divulgadas as notas e rasgou os papéis em que estavam anotadas as avaliações dos jurados.

No momento em que a apuração foi interrompida, a Mocidade liderava e precisava apenas de mais uma nota 10 no quesito Comissão de Frente para assegurar o título.

Após a invasão, ocorreu um tumulto generalizado dentro e fora do sambódromo. Carros alegóricos que estavam estacionados perto da passarela do samba foram incendiados. Torcedores invadiram uma pista da Marginal Tietê e chegaram a entrar em confronto com a polícia.

Com a decisão de manter as colocações vigentes no momento da paralisação, a Rosas de Ouro foi a vice-campeã e a Vai-Vai ficou com a terceira colocação.

Camisa Verde e Branco e Pérola Negra foram rebaixadas do Grupo Especial para o Grupo de Acesso.

Foram presos Tiago Ciro Tadeu Faria, 29 anos, integrante da Império da Casa Verde, que deflagrou a confusão, e Cauê Santos Ferreira, 20 anos, da Gaviões. Os dois serão indiciados sob suspeita de dano ao patrimônio público e supressão de documentos. Faria teria roubado, rasgado e jogado os papéis com as notas para o alto. Em seus depoimentos, os dois disseram que havia um acordo para que não houvesse campeã neste ano. A confusão, afirmaram, foi planejada. Ambos permanecem presos. Outras três pessoas acabaram detidas, mas os nomes não foram divulgados.

Comentários